Cinco pessoas estupram jovem de 12 anos, filmam e divulgam na web – Jornal F7 – A notícia levada a sério!

A Polícia Civil de Santa Maria, no Distrito Federal, está investigando um estupro coletivo praticado contra um adolescente de 12 anos. O crime chegou ao conhecimento das autoridades após os acusados divulgarem um vídeo do ato criminoso nas redes sociais.

Nas imagens, é possível ver o menor de idade amordaçado, seminu e com cordas amarradas no pescoço. Ainda, a vítima é agredida fisicamente e humilhada por um dos acusados.

De acordo com o chefe da 33º Delegacia de Polícia (Santa Maria), Rodrigo Têlho, ao todo, cinco pessoas teriam participado da ação ocorrida na semana passada.

Até o momento, os investigadores prenderam uma mulher maior de idade que teria participado do crime. Além dela, um homem maior de 18 anos e três garotos menores de idade também estão sendo acusados pelo estupro coletivo. Todos eles já foram identificados pela polícia.

“A criança era constantemente humilhada pelos autores. A vestiam de mulher, introduziram cabos de ferro e de martelo no seu ânus. A sacaneavam em troca de drogas”, disse o delegado.

A mulher foi presa em flagrante pois estaria divulgando o vídeo na internet e responderá por injúria, estupro de vulnerável, lesão corporal, crimes praticados contra a criança e adolescente, além de tráfico de drogas e ameaça. Já o outro acusado, também maior de idade, teve prisão temporária pedida à Justiça.

Os adolescentes envolvidos no caso serão encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente.

A polícia teve conhecimento do crime após uma denúncia feita pelo Conselho Tutelar da região, que ficou sabendo do caso após o vídeo ser compartilhado em uma comunidade on-line.

De acordo com informações do site “Metrópoles”, o conselheiro Hessley Santos disse que o vídeo foi divulgado inicialmente em um grupo de moradores do condomínio Porto Rico, que reportaram o caso ao Conselho Tutelar.

“O garoto disse que os acusados iriam jogá-lo no córrego para matá-lo, mas desistiram da ideia. Eles rasparam a sobrancelha do menino, torturam e cometeram abuso sexual”, informou.

Ainda segundo Santos, a vítima mora com a avó, no entanto, ela não tem condições de garantir a segurança dele. Por isso, os conselheiros encaminharam o adolescente para uma unidade de acolhimento institucional, onde aguarda decisão judicial.